Reações à “Vida”

Foi um grande prazer reencontrar Aurora de Córdoba e as outras personagens todas da “Vida na Praça Roosevelt”, que apresentamos quinta e sexta desta semana no Recife e vamos reapresentar em São Paulo hoje e na próxima quinta, dia 23, às 19h30, em sessões especiais, fechadas, destinadas ao Teatro Vocacional (1). Estou limpando minha caixa de entrada e nela encontrei esse mail de um espectador, o Rafael Ferro, sobre a “Vida”. A mensagem foi mandada para o Ivam, que a repassou para mim, e quis então deixá-la registrada aqui no meu blog, para que todos possam ler. Éissaí.

Oi Ivam…
Bem, primeiramente, quero lhe agradecer por ter me proporcionado, um dos mais belos sábados de minha história.
Pode parecer loucura…Caralho…é muito mais que isso…é Ekstasis…é du caralho ao quadrado o que senti.
Tive a honra de vê-los (Cia Satyros) em mais um ESPETÁCULO, não…não…não foi “mais um Espetáculo”…
FOI O ESPETÁCULO…
“A VIDA NA PRAÇA ROOSEVELT”, reformulou (nos poucos neurônios que tenho) os meus conceitos sobre atuação.
Sobre o Ser Ator.
Além de trabalhar na área (contato publicitário) ligada aos palcos, sou tb. estudante de Artes Cênicas.
Sempre que posso estou aí no Satyros, para os prestigiar; deleitando-me nos ótimos espetáculos da Cia.
Mas com “A Vida na Praça Roosevelt” foi diferente.
Claro, que já fui com uma expectativa de surpreender-me; e não foi diferente, aliás, foi mágico; incrível; pois pela primeira vez, vivi a verdadeira magia do Teatro, eu sentia o sentir, o cheirar, me arrepiei, quase que toquei, ao encontrar nos personagens, nos textos, nas expressões, na trilha, no figurino, no cenário, no conjunto…o pioneirismo, a ousadia, a verdade e a vida doada em cenas, que por sua vez, me davam tapas na cara.
Foi tão louco, e surpreende a experiência que tive no dia, que saí do Teatro, com medo…é…Medo!!!
Porra!!! O que vcs fizeram comigo?
Tive medo.
Medo de ser surpreendido na rua por mendigos;
Por ser abordado pelos traficantes;
Pelas Putas;
Pelos Travestis;
Pelo “Fofão”, que até então, não sabia a causa de sua face deformada.
Tive medo, de o encontrar, e ver que todos somos iguais, mesmo com nossas diferenças;
Medo do Destino…Medo da Vida Cruel. Da Vida na Praça Roosevelt.
Obrigado.
Por abrir meus olhos. Por me fazer ver o valor do Ser Humano.
Me dê licença.
Preciso continuar ruminar o que comi no sábado, dia 19/08/2006, a partir das 21:10.
Grato,
Rafael Ferro

PS: Por favor, deixa um grande beijo para a Galera do elenco, diga assim pra eles:
“Vai ser bom assim, na casa dú Caralho, Porraaaaa….Vcs São demais…Muita Merda Pro Cêis…sempre…sempre”.

Escrito por Alberto Guzik às 07h36

 

(1) Teatro Vocacional. Programa da Secretaria de Cultura do Município de São Paulo.
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/dec/formacao/vocacional/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode se interessar