“O Labirinto do Fauno”

Fui ver enfim “O Labirinto do Fauno”, filme de Guillermo del Toro (1). O maravilhoso Sergi Lopez encabeça o elenco como um odioso capitão franquista. Mas quem rouba a cena é uma menina de uns 11 anos, cujo nome eu não sei. Um dos filmes mais poderosos que vi nos últimos tempos. Guerra Civil Espanhola. Guerrilheiros e soldados franquistas se enfrentam na montanha, enquanto uma mulher grávida tem um parto difícil e sua filhinha imagina uma história fantástica, que envolve labirintos, faunos, sapos malignos, tarefas mágicas. Fantasia versus realidade. Uma realidade sangrenta e assassina. Arrebatador, o filme. Poderosíssimo. Está saindo de cartaz e ninguém deveria perder. Corram

Escrito por Alberto Guzik às 11h07

(1) “O Labirinto do Fauno”, filme do diretor mexicano Guillermo del Toro. http://www.imdb.com/title/tt0457430/combined

Cazuza

O Brunno (1) , que é apaixonado pelo Cazuza, me mandou essa letra. Partilho com vocês:

Todo o Amor Que Houver Nessa Vida

Cazuza e Frejat
Eu quero a sorte de um amor traquilo
Com sabor de fruta mordida
Nós na batida no embalo da rede
Matando a sede na saliva

Ser teu pão
Ser tua comida
Todo o amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia

E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente nem vive
Transformar o tédio em melodia

Ser teu pão
Ser tua comida
Todo o amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia

E se eu achar a tua fonte escondida
Te alcanço em cheio o mel e a ferida
E o corpo inteiro feito um furacão
Boca, nuca, mão e a tua mente não

Ser teu pão
Ser tua comida
Todo o amor que houver nessa vida
E algum remédio que me de alegria

Ser teu pão
Ser tua comida
Todo o amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia
E algum veneno antimonotonia
e algum….
Escrito por Alberto Guzik às 11h13

(1) Bruno – NÃO SEI QUEM É.

‘inocência’: prêmio e vídeo

Continuo sem conseguir postar imagens (por incompetência minha, acho) aqui no blog. Pena, porque queria postar algumas imagens de “Inocência” pra registrar meu prazer, satisfação e orgulho por fazer parte desse espetáculo, que acaba de ser eleito pela APCA como um dos quatro melhores do ano. Fomos escolhidos junto com “A Pedra do Reino”, de Antunes (1) , “Zona de Guerra”, do André Garolli (2) , e “Camaradas”, de Eduardo Tolentino de Araújo (3) . Estamos entre os feras! Lindo. Como não consigo postar imagens, remeto vocês para o YouTube. Nosso talentosíssimo Laerte Késsimos fez um vídeo de sete minutos about “Inocência” que pode ser acessado ou por meio do blog dele, http://laerteeomundo.zip.net ou diretamente no YouTube pelo link direto http://www.youtube.com/watch?v=iJvTXD1uR3s. Entrem e vejam.
E não esqueçam. Amanhã tem sessão de “Inocência” normalmente, às 21h. E sexta feira, em vez de espetáculo, haverá a festa de lançamento dos livros “Teatro de Ivam Cabral”, “Cia. de Teatro Os Satyros”, de Alberto Guzik, e “Irene Stefania”, de Germano Pereira, no Espaço dos Satyros, Praça Roosevelt, 214, a partir das 19h. Apareçam e levem família, gato, periquito, sogra, cunhado, aquele vizinho…

Escrito por Alberto Guzik às 17h51

(1) Antunes Filho. Teatropédia.
(2) André Garolli . Teatropédia.
(3) Eduardo Tolentino de Araújo. Teatropédia.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode se interessar