Ricardo Reis

Neste domingo quente cinza tristonho de fim de ano, leio Ricardo Reis (1) :

“Quanto faças, supremamente faze.
Mais vale, se a memória é quanto temos,
Lembrar muito que pouco.
E se o muito no pouco te é possível,
Mais ampla liberdade de lembrança
Te tornará teu dono.”

Escrito por Alberto Guzik às 10h38

 

(1) Ricardo Reis. Um dos heterônimos de Fernando Pessoa (1988/1935), poeta português. Talvez o maior. Heterônimo é como se chama cada um dos nomes – acompanhados por personalidade, identidade artística, universo próprio – com os quais Pessoa assinava sua obra poética.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode se interessar