uau!

Estou de volta. Estava ilhado por uma pane no meu pc.

Escrito por Alberto Guzik às 17h42

Evoé

Que momento vivemos nos Satyros! É uma pena que a carreira de “Inocência”, espetáculo que está cada dia mais gostoso de se fazer e a cada sessão empolga mais os espectadores, vá ficar um pouco truncada. Mas temos uma viagem marcada, vamos reencontrar uma velha amiga, “A Vida na Praça Roosevelt”, no Recife. Apresentaremos o resultado de nosso primeiro namoro com a dramaturgia de Dea Loher no Festival de Teatro do Recife, nos dias 16 e 17. E os Satyros também levam para lá a belíssima “Cosmogonia”, texto e direção de Rodolfo García Vázquez, com Ivam Cabral e Cléo de Paris no elenco. A montagem ocupará a cena nos dias 14 e 15. Depois, dia 24, retornamos com “Inocência” para São Paulo, e o espetáculo fica nos Satyros 1 até 17 de dezembro. Estaremos em cartaz pois, quando, no início de dezembro for lançado pela Imprensa Oficial o livro “Cia. de Teatro Os Satyros: Um Palco Visceral”, que escrevi a partir de muitos depoimentos de Ivam e Rodolfo. O livro tem a forma de uma conversa entre os dois e é delicioso. Para o ano que vem não sei ainda o que nos aguarda. Há muitos projetos e poucas certezas. Mas duvido que esse jogo criador em que estamos todos envolvidos venha a perder ímpeto. Os perigos são muitos. É preciso derrotar um exército de dificuldades a cada dia. Mas até agora nós, os Satyros, assim como boa parte da melhor arte independente que se produz por aqui, temos resistido bravamente ao tsunami de problemas que encaramos para sobreviver. Que Dionisos nos proteja e nos aumente. Evoé.

Escrito por Alberto Guzik às 17h57

Explico

Explico o post abaixo. Fiquei durante dias sem computador. Por algum vírus ou problema correlato, minha máquina parou de se desligar. Eu só conseguia desativar o bicho, que, confesso, é pré-histórico, apertando o botão e colocando todo o sistema em risco. Fui socorrido pelo amabilíssimo e prestativíssimo Roberto Moreno, da UOL, que me colocou na pista da seriedade do problema. Isso ocorreu depois que passei dias tentando postar a mensagem abaixo sem conseguir. Quando Moreno, um novo amigo, depois de tentar me auxiliar de todas as formas, explicou que algum dos cookies deveria estar apresentando problemas, levando o sistema a recusar minha mensagem, apelei correndo para o meu bravo Rubens, um velho amigo, técnico presto e perito. Pra encurtar a história, enquanto nós apresentávamos “A Vida na Praça Roosevelt” no Recife, Rubens fez uma grande operação de salvamento em minha máquina. Ela está funcionando novamente, melhor que antes, e volto a postar textos aqui.
Não se espantem assim com a falta de sincronia entre as datas que menciono no corpo do texto “Evoé” com a data de sua postagem. Só pude fazer isso agora, quando Rubens, o eficiente, veio instalar a máquina e me devolveu esse indispensável instrumento de trabalho. Quase não coloquei no blog o texto, que relata como se fossem acontecer, coisas que já aconteceram. Mas depois pensei que, por coerência, deveria incluí-lo também aqui, como lembrança de minha semana sem o pc.
E para quem quiser saber o que aconteceu com nossa viagem, posso contar que chegamos hoje cedo do Recife, depois de duas apresentações hercúleas da “Vida”, espetáculo intimista, concebido para a salinha dos Satyros, e apresentado na capital pernambucana um teatro imenso. Enchemos o teatro, tivemos boa crítica, fizemos muita gente fina e linda se emocionar e chorar. Vai ser difícil esquecer a emoção com que Lúcia Machado (1) e Antônio Cadengue (2) , os diretores do festival, vieram me abraçar ao fim da estréia. Amanhã vamos fazer uma apresentação especial da “Vida” lá na Rôosevelt. E semana que vem “Inocência” estará de volta. Ueba!

Escrito por Alberto Guzik às 18h39

(1) Lúcia Machado. Atriz pernambucana, integrante do grupo Companhia Teatro de Serafim, dirigido por Antônio Cadengue. Foi também diretora geral e curadora do Festival de Teatro de Recife.
(2) Antônio Cadengue.
http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_teatro/index.cfm?fuseaction=personalidades_biografia&cd_verbete=8986

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode se interessar