Risadas Gravadas

Risadas Gravadas, texto do argentino Alejandro Robino, que estou dirigindo, é enlouquecedor. O cara tem talento e é do ramo. Mexe ao mesmo tempo com o universo dos clowns e o mundo da política, do terrorismo de Estado. Em sua trama alucinante, Betina Mata vai ao consultório do psiquiatra dr. Menendez para uma consulta. Ela é na verdade Betty Boop (1) que no passado pertenceu a um grupo de resistência ao regime ditatorial, e os integrantes da célula intitulavam-se a si mesmos “nós que amávamos o cinema”. Menendez, por sua vez, usava a psiquiatria a serviço da repressão, e mais tarde envolveu-se amorosamente com Oliver Hardy ( 2) , resistente que estava incumbido de torturar, marido de Betty Boop. Nessa história haverá ainda lugar para Charles Chaplin(3)/Buster Keaton (4) , integrante do grupo de resistência, que foi traído por Betty Boop e Oliver Hardy. Parece confuso? Esperem para ver a montagem. A peça traça com uma clareza incrível um quadro metafórico do enfrentamento das utopias com a realidade castradora. Não trata apenas da situação política da Argentina durante os anos de chumbo, mas da situação do ser humano diante do poder. Um poder que é traído pelo desejo, como se vai ver no decurso da história. “Risadas Gravadas” é um texto magnífico, que desafia encenador e atores por sua exigência de precisão, por seu humor alucinado, por sua poesia inesperada e brusca. Meu caminho está sendo grandemente simplificado pela qualidade dos atores com que estou trabalhando. Patrícia, Júlio, Vicente, e mais Lydia (5)e Carol (6) , que fazem dois enfermeiros a la Três Patetas (7), são intérpretes bem preparados, que reagem rapidamente às sugestões da direção. Artistas disponíveis e inteligentes, frutos da ECA (8), atestando o bom grau de formação atingido por essa escola. A montagem estréia dia 04/08, e vai ficar em cartaz aos sábados e domingos nos Satyros 1. Robino vem para a estréia. Estou muito muito feliz com o trabalho, que caminhando por uma trilha estética das mais interessantes. Pensem só: clowns, repressores e guerrilheiros. Que mistura, heim?

Escrito por Alberto Guzik às 10h39

(1) Betty Boop. Betty Boop é uma personagem de desenho animado que apareceu nas séries de filmes Talkartoon e Betty Boop, produzidas por Max Fleischer e distribuídas pela Paramount Pictures. Hoje, Betty é considerada uma das personagens dos desenhos animados mais conhecidos do mundo e considerada a rainha dos desenhos animados da década de 1930.
(2) Oliver Hardy (1898-1957) . Ator Americano. O Magro da dupla O Gordo e o Magro.
(3) Charles Chaplin ( 1889/1977). Ator, diretor e compositor ingles, criador da personagem Carlitos.
www.charliechaplin.com

(4) Buster Keaton ( 1895/1966) Ator, diretor, produtor e roteirista americano. Mais conhecido por seus filmes mudos.
(5) Lydia
(6) Carol
(7) Os Três Patetas ( The Tree Stooges, 1925-1969), grupo de comediantes americanos que começou no vaudeville e passou para o cinema mudo, com grande sucesso. Teve várias formações e entre cinema, televisão e apresentações ao vivo atravessou fases de grande sucesso e relativo fracasso. Sua marca registrada era o humor físico.
(8) ECA – Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo ( USP)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode se interessar